domingo, 21 de Dezembro de 2008

Yule ou Solstício de Inverno

O Yule ou Solstício de Inverno marca a noite mais longa e o dia mais curto do ano. Celebra-se pois o renascimento do Deus, simbolizado pelo Sol que aparece mais cedo pela manhã.

Não é por acaso, pois, que os cristãos tenham escolhido 25 de Dezembro como o dia do nascimento do filho divino. Também a tradição do pinheiro de Natal é de raíz pagã. As famílias tinham o costume de levar pinheiros para dentro de casa, para que os espíritos da madeira tivessem onde se abrigar do frio, e os sinos que eram pendurados nos ramos serviam para avisar quando um espírito tivesse presente.


No dia de Yule, os druidas honravam a batalha entre o Rei Azevinho (que representa a morte e a escuridão desde o Samhain até ao Yule) e o Rei Carvalho (a árvore cósmica da vida, representa a luz e a vida a partir do Yule até ao Samhain), irmãos gémeos que batalham e vencem à vez de seis em seis meses, na roda da Vida.



É tempo de celebrar o espírito da terra e pedir que tenhamos a força necessária para ultrapassar os obstáculos até à Primavera. Celebremos a vida, a família, a união, a luz que não deve faltar seja em forma de uma lareira, vela, ou uma fogueira. Relembremos as realizações passadas, deixemos as mágoas para trás e façamos novos planos para o futuro.

Símbolos: o tronco de Yule, o pinheiro, coroa de azevinho, estrelas, sol, lua, sinos, musgo, grinaldas, pinhas, rodas solares, bolotas...

Cores: vermelho, verde, dourado, amarelo

Palavras-chave: luz, esperança, renascimento, transformação, inspiração, paz, harmonia, alegria, regeneração, crescimento, cura, protecção, equilíbrio, meditação, introspecção.

0 comentário(s):

Enviar um comentário

  ©

Back to TOP