terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Crítica / Review do concerto dos Fields of the Nephilim + Setlist

Há muito que se sonhava com um concerto dos Fields of the Nephilim e eis que tal se tornou realidade. Carl McCoy entrou calmamente em palco de óculos escuros, estrela de David ao pescoço, jeans ao estilo "cowboy" à Mad Max e com o seu inseparável chapéu. Carl não se dirigiu uma única vez ao público (à excepção no final com um simples "Thank You"), nem sequer puxou de alguma forma pelos presentes, contudo não descurou vez alguma o profissionalismo já que McCoy puxou e bem pela voz, estando sempre num elevado nível vocal.
Fields of the Nephilim coliseu porto
Porém, algo falhou no concerto... e o que falhou foi o público. Pelo menos dois tipos de audiência estavam presentes... uns muitos jovens para quem os Fields são como uma espécie de banda do além, uns deuses ominipresentes mas inatingíveis. Este grupo não teve um contacto próximo com a banda devido ao largo interregno da mesma. O segundo tipo de público que já está nos trintas, passaram a sua tardia adolescência a ouvir os Fields, o álbum ao vivo "Earth Inferno" que passava de mãos em mãos em k7's, sendo o mais próximo que poderiam ousar de uma actuação ao vivo da banda, até este sábado 6 Fev 2010.
Fields of the Nephilim coliseu porto
Houve uma modesta participação do público com "From the Fire" interrompida com "Penetration" em que o espectáculo entrou na onda do metal...terrível esta música...todavia daria lugar a um dos pontos altos do concerto com "Moonchild", captando esta música a adesão do pessoal. Atrás de uma grande música só poderia vir uma outra, a qual veio a constituir na minha opinião pessoal, o ponto alto do concerto: "Love Under Will".
"When I'm gone wait here
I'll send my child my last good smile"
Valeu a pena, a meu ver, o concerto só por esta música, que espectáculo, que prestação sublime do baixo e da bateria, simplesmente alucinante... Após Watchman e Mourning Sun, o grupo descansou para voltar para o "encore". A Mourning Sun esteve algo má em termos sonoros, não se percebia bem o que Carl cantava...
Fields of the Nephilim coliseu portoApós uns certos arranjos, e com o "encore" a iniciar com "For Her Light" o público reactivou mas sempre de forma tímida. Finalmente e como de costume, FOTN despediram-se com "Last Exit For the Lost".... esta música como sabido acelera e bem a meio quando McCoy canta "We're getting close to you I can see the door" e aí viria a surpresa da noite... o público batendo palmas com as mãos elevadas em sintonia com o ritmo da bateria... Rendeu-se finalmente. Foi para a despedida!

Despedida esta um tanto amarga pelo tempo que os FOTN demoraram a vir a terras lusas, a memória e o entusiasmo foi-se desvanecendo no público da velha guarda e por isso, no geral, o concerto foi muito bom, mas poderia ter sido excepcional.
Fields of the Nephilim coliseu porto
Não obstante, McCoy teve uma perfeita performance, colocando na voz a sua alma. Não esquecendo as guitarras (Tom Edwards e Gavin King), a bateria (Lee Newell) e principalmente o baixo (Snake - que trocou 3 vezes de viola baixo durante o concerto)... todos estiveram completamente irrepreensíveis.

Alinhamento:

Straight to the Light (Mourning Sun, 2005) (em parêntesis= álbum)
Trees come down (Burning Fields-EP 1985, From Gehenna to Here 2005)
Preacher Man (Dawnrazor 1987/Earth Inferno 1991)
Dawnrazor (Dawnrazor 1987/Earth Inferno 1991)
From the Fire (Fallen, 2002)
Penetration (Zoon, 1996)
Moonchild (The Nephilim 1988/Earth Inferno 1991)
Love Under Will (The Nephilim 1988/Earth Inferno 1991)
Watchman (The Nephilim, 1988)
Mourning Sun (Mourning Sun, 2005)

Encore:

For Her Light (Elizium, 1990/Earth Inferno 1991)
Zoon (Zoon 1996)
Last Exit For the Lost (The Nephilim 1988/Earth Inferno 1991)

Enviar um comentário

  ©

Back to TOP