terça-feira, 3 de agosto de 2010

Amphi Festival 2010 review - 1ª parte

O Portal Gótico esteve no Amphi Festival com o objectivo de levar a público um dos principais festivais góticos e alternativos internacionais. Agradecemos a receptividade e apoio da organização do Festival que nos facultou o acesso ao evento, pese embora o facto de o mesmo se encontrar já com lotação esgotada.

Entramos no recinto Sábado de manhã, por volta das 11 horas, e deparamo-nos com um espaço muito agradável, tendo na sua envolvência uma praia fluvial para os que quisessem desfrutar da mesma, um espaço para piquenique com estruturas para as crianças brincarem, e a meio do recinto um lago e ao seu redor um conjunto de tendas de venda de roupa e acessórios góticos, industriais, Ebm, alternativos, etc.

Din [A] Tod

Din a Tod amphi festival 2010 Din a Tod amphi festival 2010
Din a Tod amphi festival 2010Din a Tod amphi festival 2010
Após a actuação de novos talentos, abre o cartaz a banda Din [A] Tod com os seus dois elementos Sven Clausen e Claudia Fasold. Este grupo criado em 2003 caracteriza-se por tocar um electro/synth-pop algo minimalista fundindo a sonoridade dos inícios dos anos 80, nomeadamente com Joy Division e Sisters of Mercy.

É uma banda interessante de se ouvir e ver ao vivo, porém a apresentação em palco de Sven estava a nosso ver algo descuidada, com uns calções curtos e destoando um pouco da elegância que merecia um concerto daquela magnitude. Não obstante, a música valeu por si só, sendo de destacar a Some Kind of Hate. Um início realmente agradável para o festival.

Destroid

Destroid Amphi Festival 2010 Destroid Amphi Festival 2010
Destroid Amphi Festival 2010Destroid Amphi Festival 2010
Rumamos ao palco interior e os Destroid estavam já a arrancar. Destroid é um projecto de Daniel Myer à semelhança de outros como Haujobb e Architect. Destroid apresentaram ao vivo as novas músicas do EP “Silent World” deste ano. Falamos de Leaving Ground (remix de SITD) e da cover de Lucretia My Reflection dos Sisters of Mercy.

O álbum “Loudspeaker” de 2007 também esteve bem representado com 4 músicas: Run and Hide, Revolution, Friend or Foe e por último a Mourn. Um concerto espectacular de Daniel Myer, destacando-se a nosso ver Run and Hide (simplesmente fabulosa ao vivo), a Lucretia my reflection, e Leaving Ground, remix de SITD.







Setlist:
01. Silent World
02. Friend or Foe (The Betrayal)
03. Revolution
04. Run and Hide
05. Mourn
06. Leaving Ground
07. Lucretia My Reflection (Sisters of Mercy Cover)
08. Judgment Throne
www.destroid.de
www.myspace.com/destroidmusic

Faderhead

Muito nos desagradou este concerto. Faderhead tem um electro fácil e para as massas, atingiu este ano de 2010 as pistas dos clubs alemães com 3 faixas dançáveis em que a única razoável é TZDV “tanz, zwo, drei,vier”…

Esta banda não possui qualquer substância digna de nota, mas mesmo assim fizemos questão em estar presentes no concerto (pelo menos nas 2 ou 3 primeiras músicas). Sem dúvida que o público presente estava a curtir e bem o concerto, principalmente os cyber-goths, todavia tenhamos em conta que os alemães são fãs de tudo o que é electrónico, desde o industrial, ao techno, do noise ao trance.

Solitary Experiments
Solitary Experiments Amphi Festival 2010 Solitary Experiments Amphi Festival 2010
Solitary Experiments Amphi Festival 2010 Solitary Experiments Amphi Festival 2010
Após refrescarmos os ouvidos e a visão do concerto anterior com um passeio pela praia artificial, eis que chega a vez de uma das melhores bandas em cartaz a nosso ver: os Solitary Experiments. Foi a primeira vez que vimos esta banda ao vivo e sem dúvida que foram, juntamente com Funker Vogt, das melhores bandas do dia. Os Solitary Experiments estão na cena desde 1994 e fazem parte da banda Dennis Schober (Vocalista, letras, programação), Steve Graeber (programação, samplagem) e Frank Glassl (bateria electrónica ao vivo).

A banda apresentou-se com as suas habituais camisas vermelhas e gravatas pretas com o seu logótipo. Em termos de performance estiveram perfeitos ou no limiar da perfeição, com Dennis a “puxar” várias vezes pelo público e o público a aderir entusiasticamente, elevando as mãos, batendo palmas, cantando e dançando.

Os Solitary Experiments tocaram músicas do último álbum "In The Eye Of The Beholder" de 2009 e autênticos clássicos de “Mind Over Matter” de 2005. No total destacamos as músicas Immortal, Delight, Seele Bricht, Point of View e Rise and Fall… que elevaram ao máximo este soberbo concerto… Simplesmente fantástico Herr Schober!

Setlist:
01. Road to Horizon
02. Pale Candle Light
03. Immortal
04. Déjà vu
05. Delight
06. Seele Bricht
07. Point of View
08. Rise and Fall


Welle:Erdball
Welle Erdball Amphi Festival 2010
Welle Erdball Amphi Festival 2010
Welle Erdball Amphi Festival 2010 Welle Erdball Amphi Festival 2010
Após Solitary Experiments, precisávamos de descansar. Dirigimo-nos então para o palco ao ar livre, onde actuavam os Welle:Erdball. Já algumas vezes destacamos este grupo no Portal Gótico principalmente pela sua singularidade musical já que compõem as músicas com o chip do antigo computador “Commodore Amiga”.

Esses sons de antigos jogos arcade dão lugar a fantásticas melodias. Esta banda é igualmente singular na forma como se apresenta em palco, como que parece que nos querem elevar a uma dimensão paralela através dos sentidos, não faltando em palco elementos surreais como balões, aviões de papel, etc.. Momentos altos com músicas como Wir sind die Roboter (cover dos Kraftwerk), Poupée de Cirque, Ich bin aus Plastik e Starfighter F104G, sendo esta perfeita para terminar o concerto.

Setlist:
1. Wir sind die Roboter (Kraftwerk)
2. ?
3. Es geht ab
4. Fred vom Jupiter (Andreas Dorau)
5. Poupee de cire
6. Es geht voran (Fehlfarben)
7. Ein bischen Frieden (Nicole)
8. Schweben, Fliegen, Fallen
9. Ich bin aus Plastik
10. Die falsche Front
11. 0173-1923954
12. Die Stunde: NULL
13. Monoton und Minimal
14. Starfighter F104G
www.welle-erdball.info
www.myspace.com/funkbereit


Nachtmahr


Nachtmarh é um projecto criado pelo austríaco Thomas Rainer em 2007. Nachtmahr não se encontra dentro de um estilo específico pois vai desde o ebm ao noise, passando pelo hard industrial e é nesta última vertente que eu os curto. Havia um grande número de fãs com tshirts da banda, e até mesmo vestidos a rigor: a militarista de camisa branca e gravata preta e as meninas com bivaque na cabeça.

O concerto foi potente: sem margem para dúvida, os Nachtmarh conquistaram já uma grande legião de fãs. Rainer deu um espectáculo vigoroso com hits como Mädchen in Uniform, Tanzdiktator, War on the Dancefloor. Estas músicas foram as minhas preferidas, juntamente com Katharsis, mas A War on the Dancefloor foi o ponto mais alto do concerto. Grande música, com espectacular prestação de Thomas.

No geral, foi um muito bom concerto, grande parte do público não hesitaria em afirmar como um dos melhores concertos do festival ou mesmo o melhor, porém quando a banda passa do Industrial para o Noise, abstemo-nos de comentar!

Setlist:
1. Deus Ex Machina
2. Leistung
3. Mädchen in Uniform
4. Boom Boom Boom
5. Tanzdiktator
6. War on the Dancefloor
7. Weil ich's kann
8. Feuer frei!
9. Katharsis

Enviar um comentário

  ©

Back to TOP