segunda-feira, 11 de junho de 2012

O lugar do horror na literatura

O desenvolvimento das reflexões acerca do horror gera a necessidade de que se faça uma breve apreciação acerca do papel do Feio como potencial estético. Em princípio, deve-se distinguir (sem entrar no mérito das questões qualitativas) a “arte feia” da “arte do feio”. A primeira pressupõe a mera rudimentarização das manifestações artísticas. Algo deficiente e mal realizado. Já o segundo caso diz respeito à valorização consciente das formas para a caracterização do Feio. Aqui, o Feio se opõe ao Belo apenas no âmbito dos direcionamentos estéticos. Neste caso, o Feio possui suas próprias formas de organização na constituição particular de beleza.
Ensaio da autoria de Jorge Fernando Barbosa do Amaral, para ler na íntegra aqui.

Enviar um comentário

  ©

Back to TOP